Nenhum comentário

COVID-19 revela mais uma faceta do risco à saúde causado pela Obesidade

A obesidade tem sido um problema de saúde crônico com o qual a população brasileira tem cada vez mais convivido. Segundo dados da Pesquisa Vigitel 2019, cerca de um quinto da população adulta no país está com a doença e mais da metade apresenta sobrepeso.

Entretanto, além do risco de diabetes e problemas cardiovasculares, consequências já conhecidas da obesidade, a pandemia revelou que o grupo também é fator de risco para COVID-19 e está sujeito a casos mais graves da infecção causada pelo vírus Sars-Cov-2.

Apenas no boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Minas Gerais no dia 27 de julho, foram contabilizadas 234 mortes de pacientes obesos com o novo coronavírus.

Dados divulgados pela Agência da Grã-Bretanha, onde dois em cada pessoas britânicos estão acima do peso, indicaram que a taxa de mortalidade entre pessoas acima do peso é 40% maior, podendo chegar a 90% em pessoas obesas.

Os riscos são graves e os pacientes infectados podem ter dificuldade de ventilação, redução do aporte de oxigênio. Além disso, a doença pode levar a casos de doenças cardiovasculares e trombóticos. Essa soma de fatores é responsável por fazer com que as pessoas com sobrepeso e obesidade estejam entre os principais grupos de risco da COVID-19.

Devemos respeitar o isolamento social, higienizar as mão e evitar aglomerações. E, a longo prazo, é necessário a instauração de políticas cada vez mais efetivas contra a obesidade e o sobrepeso, prezando pela saúde da população.

A própria Grã-Bretanha já anunciou medidas governamentais contra a doença, como a proibição total de publicidade on-line de alimentos não saudáveis e antes das 21h na TV e a obrigação de estabelecimentos de alimentação de tornarem público o número de calorias de suas refeições.

A alimentação adequada e saudável é peça chave na resolução deste problema e o profissional da Nutrição está apto e disposto a promover o bem estar dos brasileiros.

Saiba mais sobre a obesidade como fator de risco para a COVID-19 na matéria publicada pelo Estado de Minas: clique aqui.