Nenhum comentário

Cuidado e Atenção são Palavras-chave na Nutrição em ILPI de Itabirito

Como promover hábitos alimentares mais saudáveis e falar sobre educação alimentar com idosos? Esses são alguns dos desafios encontrados por muitos profissionais da Nutrição, mas a nutricionista Laydiane de Sousa tem mostrado que com esforço e carinho é possível realizar um trabalho diferenciado em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPI), em Itabirito, região metropolitana de BH.

Com o auxílio da psicóloga da instituição, além de realizar os acompanhamentos nutricionais, Laydiane encontra espaço para promover iniciativas que geram debates e boas práticas em Nutrição na Casa de Repouso Santa Luiza de Marilac. Atuando na ILPI desde 2016, a nutricionista tem contribuído e presenciado a melhora na saúde e na qualidade de vida dos residentes.

Laydiane (ao centro) e alguns residentes da Casa de Repouso Santa Luiza de Marilac

Assembleia Geral dos Idosos: momento de escuta

Uma das atividades que mobiliza e chama a atenção dos residentes é a Assembleia Geral dos Idosos. Criada há três anos pela psicóloga da instituição, Cíntia Carvalho, a finalidade é conversar com os idosos e conhecer as demandas trazidas por eles sobre os vários assuntos da casa.

E adivinhe qual é um dos temas que mais tem despertado o interesse dos residentes? A Nutrição! A partir das demandas levantadas, a nutricionista foi inserida no trabalho, que ganhou também o viés de levantar os saberes, os sentimentos e os conceitos que os idosos têm sobre a alimentação e, desta forma, obter ferramentas úteis para tornar a oferta alimentar mais próxima daquilo que é representativo e benéfico para os moradores da ILPI.

Laydiane conta como é importante esse momento de escuta dos residentes: “é um trabalho que ajuda a trazer para o idoso a questão da identidade, o respeito àquela pessoa que vive ali, aos saberes, à cultura e aos valores que ela traz em si. No fim das contas, o idoso tem uma bagagem que nem os profissionais que estão ali possuem ainda e isso é fundamental para o desenvolvimento de um bom trabalho”, conclui a nutricionista.

Momento da Assembleia Geral dos Idosos tocado pela psicóloga Cíntia Carvalho

As assembleias são realizadas no espaço da capela da Casa e ocorrem a cada 3 meses de forma fixa e sempre antes dos eventos da instituição. Participam aqueles idosos que são lúcidos e conseguem se comunicar mais claramente.

Além disso, são convidados para participar outros profissionais da equipe e membros da diretoria. A psicóloga Cíntia Resende considera a parceria com a nutricionista um sucesso: “é muito importante ter uma equipe técnica muito alinhada e isso acontece aqui na Casa, pois há troca de saberes, troca de informações, respeito à formação um do outro, porque na verdade temos um objetivo em comum que é valorizar a vida dos residentes”.

Grupo Felicidade: mais saúde e Nutrição

O Grupo Felicidade surgiu através da iniciativa de uma residente da instituição, que se sentia insatisfeita com o seu corpo. Foi a partir dessa situação que Laydiane, juntamente com os idosos, tiveram a ideia de promover encontros em que o foco era falar sobre saúde e Nutrição. “Foram eles mesmos que escolheram o nome, pois consideravam que estar saudável e satisfeito com o próprio corpo estava diretamente ligado à felicidade”, conta a nutricionista.

O trabalho foi iniciado há mais de um ano e é realizado quinzenalmente, contemplando os idosos com sobrepeso, diabetes e algum comprometimento alimentar. Participam em média 20 idosos num total de 70 moradores.

Reunião do Grupo Felicidade

No projeto, são intercaladas atividades físicas apropriadas como dança e caminhadas pela instituição, juntamente com o debate  sobre temas ligados à alimentação. A iniciativa tem trabalhado com os seguintes temas: alimentação e fatores emocionais; vida saudável; a importância da mastigação e a compulsão por comer; a obesidade;  ansiedade, entre outros. E para mensurar os resultados, os participantes são pesados uma vez ao mês e os dados são comparados para gerar avaliações.

Trabalho que dá resultado

Todo o trabalho desenvolvido é registrado em um livro, chamado “Receitas Além do Tempo”. Nele, estão não somente a história dos residentes, mas também as relações deles com a alimentação, pratos que geram emoções e toda a trajetória do projeto. Além disso, é produzido um mural no refeitório para que todos possam apreciar e saber mais sobre alimentação e hábitos de vida saudáveis.

A casa possui uma horta, onde cultiva verduras e hortaliças utilizadas nas refeições.

“É um trabalho multidisciplinar. Temos muito apoio da psicóloga da instituição e contamos com a participação da terapeuta ocupacional, técnicos de enfermagem, entre outros convidados”, defende Laydiane. Além disso, a nutricionista percebe que a qualidade de vida dos residentes tem melhorado com as práticas: “alguns idosos conseguiram reduzir peso e outros que tem o objetivo de manter o peso têm conseguido atingir a meta. Além disso, residentes que tinham uma dificuldade de se alimentar, hoje fazem esse processo de forma muito mais satisfatória”.