Nenhum comentário

Saúde no Brasil: obesidade, diabetes e hipertensão são as doenças crônicas mais incidentes, segundo Vigitel 2019

Diabetes, hipertensão e obesidade estão entre as doenças crônicas mais incidentes sobre a população brasileira. Os dados foram revelados na mais recente publicação da Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), referente ao ano de 2019 e lançada pelo Ministério da Saúde.

Segundo a pesquisa, 7,4% da população tem diabetes, 24,5% tem hipertensão e 20,3% estão com excesso de peso. O aumento em relação à obesidade é um dos fatores mais preocupantes: desde 2006, a taxa aumentou 72% e, até 2019, dois em cada 10 brasileiros sofrem com a doença.

Belo Horizonte está próximo da média nacional, com taxa de 19,9%. No país, a maior parte das pessoas identificadas com obesidade foi de mulheres, chegando a 21%. A incidência aumenta conforme a idade: para os jovens de 18 a 24 anos é de 8,7% e entre os adultos com 65 anos e mais, alcança o patamar de 20,9%.

O excesso de peso também chama atenção pelo crescimento nos últimos anos. Atualmente, mais da metade da população está com excesso de peso: 55,4%. Entre os homens a taxa é de 57,1% e entre as mulheres o percentual é de 53,9%. O documento revelou que o excesso de peso tende a aumentar com a idade: para os jovens de 18 a 24 anos, a prevalência foi de 30,1% e entre os adultos com 65 anos e mais de 59,8%.

Acesse aqui o documento completo da Vigitel 2019

Consumo de Frutas e Hortaliças

A Vigitel 2019 também buscou identificar hábitos e atividades saudáveis entre a população brasileira. Segundo a pesquisa, cerca de 34% dos brasileiros consome frutas e hortaliças regularmente, e 22,9% da população faz isso nos níveis recomendados pela OMS.

Belo Horizonte se apresenta acima da média nacional em ambos os quesitos: 44,6% comem frutas e hortaliças regularmente e 31,3% consome em quantidades recomendadas pela OMS. O hábito do consumo regular é mais comum entre as mulheres, 39,8%, e tende a aumentar com a idade dos indivíduos, homens ou mulheres.

Em relação ao consumo de alimentos in natura ou minimamente processados, a taxa é de 29,8% entre os brasileiros. Para contar na pesquisa, é necessário indicar o consumo de cinco ou mais grupos de alimentos dessa categoria.

Mas o consumo de alimentos que não são saudáveis ainda é um fator que carece cuidados. A pesquisa revelou que 15% dos brasileiros consome refrigerantes e 18% consome alimentos ultraprocessados. A presença constante desses alimentos na dieta pode levar ao aumento da prevalência de doenças como diabetes e obesidade.

Atividades Físicas

Na última década o Brasil registrou aumento de 29% dos brasileiros que praticam atividade física, e hoje tem 39,0% de sua população ativa. A pesquisa considera hábitos como caminhada, natação e dança, com frequência semanal de mais de 150 minutos de atividade moderada ou 75 minutos atividade vigorosa.

Os homens se mostraram mais ativos que as mulheres, com 46,7% contra 32,4%. Porém a pesquisa mostra que a prática de atividades físicas diminui com a idade: 49,4% na faixa de 18 a 24 anos contra 24,4% nos adultos com 65 anos ou mais, ou seja uma redução de quase metade do índice de uma faixa etária para outra.

Pessoas que não praticam atividades físicas no tempo livre, ou seja inativos, são 13,9%, da população, uma leve redução desde o último resultado divulgado. Junto a alimentação adequada e saudável, a prática de atividades físicas ajuda na prevenção de doenças e numa vida com mais saúde.


Sobre a Vigitel

O Vigitel é uma pesquisa telefônica realizada anualmente pelo Ministério da Saúde com brasileiros maiores de 18 anos, nas 26 capitais e no Distrito Federal, sobre diversos assuntos relacionados à saúde.

O objetivo é conhecer a situação de saúde da população para orientar ações e programas do governo ou organizações da área que reduzam a ocorrência e a gravidade de doenças, melhorando a saúde da população.

Acesse aqui o documento completo da Vigitel 2019.