Acesso à informação Acesso à informação Atendimento on-line A
grafismo

Conheça 2º Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil

Dados divulgados esta semana pelo 2º Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil, mostram que 33,1 milhões de pessoas passam fome no país – os números trazem a realidade de retrocesso, já que que estamos no mesmo patamar vivenciado há 30 anos.

O levantamento mostra que, em menos de um ano, 14 milhões de pessoas entraram em situação de vulnerabilidade alimentar, o que significa que 6 a cada 10 brasileiros convivem com algum grau de segurança alimentar.

A pandemia de Covid-19 tornou esta realidade ainda mais perversa, já que acentuou a desigualdade social em nosso país.

Em número absolutos, são 125,2 milhões de brasileiros que passaram por algum grau de insegurança alimentar – revelando um aumento de 7,2% desde 2020 e de 60% em comparação com 2018.

A fome afeta e diz respeito a todas as pessoas

O inventário mostra que as regiões do Norte e Nordeste são onde a população foi mais impactada, já que a fome faz parte da rotina diária de 1 em cada 4 famílias residentes nestes locais.

A área rural é onde a fome está mais localizada, atingindo cerca de 60% dos domicílios, inclusive os lares de agricultores familiares e pequenos produtores.

Entre os desempregados, a situação é mais preocupante: 1 de cada 3 brasileiros já fez algo que lhe causou vergonha, tristeza ou constrangimento para conseguir alimento. O dado corresponde a 5,9 milhões de famílias no Brasil obrigadas a usar de meios social e humanamente inaceitáveis para obtenção de alimentos.

 

Leia mais sobre o assunto:

 

Insegurança Alimentar e Covid-19 no Brasil

 

 

Gostou? Compartilhe nas suas redes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relacionados

CRN-9 presente em plenária do Fórum Mineiro de C

13/07/2021

O diretor secretário do CRN-9, Milton Cosme Ribeiro, representou o Conselho em reunião plenária do Fórum Mineiro

Ler mais

CRN9 compõe comitê da ALMG responsável por reun

19/12/2023

O Comitê da Assembleia Legislativa de Minas Gerais é fruto do evento “Obesidade é doença: o desafio

Ler mais

Regiões do Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba e N

31/05/2021

Desde 2017, o Conselho Regional de Nutricionistas da 9ª Região (CRN-9) desenvolve o projeto “A Fiscalização do

Ler mais

EXEMPLOS DE DOCUMENTOS VÁLIDOS:

• DESEMPREGO: Termo de rescisão de contrato onde conste a informação do desligamento do cargo/função. Cópias simples da Carteira de Trabalho (CTPS) que comprove desemprego: todas as páginas da carteira, desde a folha de identificação (foto), incluindo as páginas seguintes, mesmo em branco e todos os contratos de trabalho registrados, até a primeira página em branco após o último registro de emprego (não pular páginas) ou Publicação no Diário Oficial do desligamento da função.

• ATUAÇÃO EM OUTRA PROFISSÃO: Declaração da empresa empregadora contendo descrição do cargo ocupado pelo empregado; ou Cópia da carteira de trabalho ou contrato de trabalho; ou página do Diário Oficial contendo nomeação em cargo público; entre outros, conforme a situação específica; proprietário ou sócio de empresa, apresentar a cópia do comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral com o ramo de atividade ou documento similar;

• APOSENTADORIA: Comprovante de aposentadoria ou Publicação no Diário Oficial;

• MUDANÇA PARA O EXTERIOR: Passaporte/Visto ou comprovante de endereço no nome do solicitante;

• PÓS-GRADUAÇÃO: Comprovante de matrícula da pós-graduação e declaração com a descrição das atividades desempenhadas, assinada eletronicamente pelo orientador ou com carimbo da instituição;

• OUTROS: Qualquer outro documento que comprove que não está exercendo a profissão de nutricionista.